Páginas

06 novembro 2014

Por onde andei?



Depois de conversar com alguns amigos sobre as histórias da vida comecei a pensar em como todo mundo procura um amor (sei que há pessoas que não, mas são poucas em relação a maioria e todas as vezes que eu falar todo mundo neste post lembre que eu tenho noção da existência das exceções).

No fundo estamos sempre buscando o “felizes para sempre”, “um amor para chamar de meu”, “a calma de um amor tranquilo”, “uma tampa para a panela”, “a metade da laranja” etc. Use o clichê que quiser, mas o amor é quase que uma busca constante pelas pessoas.

A busca pelo amor envolve muitos corações partidos, o seu e o do outro. Podemos ter uma pessoa sensacional ao nosso lado mas um dia olhamos pra ela e vem aquele pensamento de “não é você”. Ou aquela outra pessoa que todo mundo diz que não é pra você, mas você tem certeza que todos estão errados.

Essa busca é o que nos ajuda muitas vezes a curar um pé na bunda, pois criamos a esperança de encontrarmos uma pessoa bem bacana futuramente. Nos motivamos também a sair de casa um dia qualquer pra nos permitirmos conhecer pessoas e novos amores.


Há vários tipos de amores perfeitos e cada um possui o seu. Tem gente que busca por um amor companheiro, outros por um amor carinhoso, alguns por um amor bruto e até mesmo aqueles que procuram o amor margarina. Não importa qual seja a sua maneira favorita de amar, a questão é a necessidade que existe em amar e ser amado.

Em tempos de redes sociais há dois caminhos. Lutar contra a tecnologia e insistir em se apaixonar pelo bom e velho olho no olho ou utilizar a tecnologia ao seu favor para conhecer pessoas e mantê-las por perto. Acredito que uma fusão do contato físico com a continuidade das relações em redes sociais são um bom toque na vida em um todo.

O medo de ficar sozinho também é um fator motivacional para a continuidade desta busca. Tem vezes que queremos tanto nos sentir seguros, no aconchego de um abraço pra chamar de meu que nos privamos de perceber que merecemos mais, que somos capazes demais.

Cadê o amor? O que ele faz? Onde está? Como vive?

Se existisse uma receita certa para encontrar um amor e com ele continuar colocaria aqui e manteria como ideologia pra mim, mas cada pessoa busca e precisa de uma coisa. E a cada nova história iremos continuar na expectativa de ser o fim da busca mesmo sendo a relação eterna somente enquanto houver amor, mas que exista o amor.  
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Copyright © 2013 | Design e Código: Amanda Salinas | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal